Urucum

Tempo estimado de 2:15.9

Quem já ouviu falar em uma planta chamada urucum? Se não, talvez conheça um pigmento de cor bem alaranjada, próprio para se colocar em molhos e que também dá a cor nos queijos tipo “prato”, chamado colorau. Você sabia que é do urucum que se extrai o colorau? Pois hoje falaremos um pouco sobre o uruceiro e seus frutos, com vários usos no cotidiano. Seu nome científico é Bixa orellana, crescendo espontaneamente em áreas tropicais, formando bosques frondosos bem produtivos. O Brasil é responsável por cerca de 57% da produção mundial de urucum; segundo o IAC (Instituto Agronômico de Campinas), em 2015 foram produzidos nada menos que 16.000 toneladas, liderados pela cidade de Monte Castelo, região da alta paulista no interior do estado de São Paulo. Por falar em produção, seus frutos são arredondados, cobertos de um tipo de pelo, rígido mas que não espeta: dentro estão as sementes vermelho escuras da qual se extrai o colorau, um dos poucos pigmentos totalmente naturais que não fazem mal à saúde, pelo contrário: dão cor e estímulo para nosso apetite no arroz, cozidos etc. Mas não é só: da semente se extrai a bixina, outro pigmento usado na indústria cosmética e farmacêutica e também o óleo, empregado na fabricação de margarinas, por exemplo. São árvores rústicas que podem chegar a 8 metros de altura, dependendo do tipo de solo, variedade e clima; além dos usos do pigmento sabido há muito pelos povos indígenas, produzem algo especial: belas flores, brancas e róseas, um espetáculo à parte. É isso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *