Araçá

Araçá – Tempo estimado 2:05.
Pé de araçá (aproximadamente 4 anos). (Imagem autoral)
Detalhe da folha do araçá. (Imagem autoral)

Não costumamos trazer aqui nossas belas arvores nativas, mas sempre vale a pena! É o caso do araçá, árvore cultivada em pomares caseiros: ela é de pequeno porte, com altura variando de 3 a 6 metros, com frutinhos amarelos e também vermelhos, dependendo da variedade. O gosto é silvestre, que lembra o da goiaba, só que com polpa mais suculenta e sempre doce, assim como as lembranças da infância. Então não é à toa que pertença ao mesmo gênero da goiaba, Psidium, sendo seu nome científico Psidium cattleianum; é chamada de araçá-doce, araçá-do-campo, araçá-manteiga e outros tantos. Ela é tão adaptada que pode ser encontrada nas matas atlânticas que vão da Bahia até o Rio Grande do Sul; aliás, do que resta desta floresta, devastada pela pressão imobiliária que vem dos interesses tanto de baixa como de alta renda, gerando ocupação desordenada e perda da biodiversidade, fundamental para água potável e equilíbrio do clima. Sendo assim, o araçá é uma das plantas mais disputadas para projetos de reflorestamento e recomposição da mata atlântica, aquela resistência de formiguinha, mesmo. Por ser nativa é resistente e assim são suas sementes, em grande quantidade em seus frutos: para coletá-las e gerar novas mudas, reunir os frutos, despolpá-los em água corrente numa peneira e secar à sombra: 1 quilo contém cerca de 65.000 sementes! Depois só germiná-las em composto orgânico de boa qualidade e distribuir as mudinhas com carinho. Até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *