Vamos falar do limão cravo (1)?

Tempo de duração: 2:18.

Você conhece o limão cravo? Ele é chamado por vários nomes, até mesmo por limão cavalo. Vamos entender porquê: começando do começo, essa árvore não é brasileira, mas vêm de longe, alguns dizem da India, outros da China. Por volta de 1500, veio junto com os colonizadores portugueses e espanhóis ao Brasil, se adaptando muito bem às condições de clima e solo, se desenvolvendo e frutificando quase sem restrições. Esta passou a ser sua marca registrada: a resistência. De lá até os dias de hoje, podemos dizer que ainda 80% dos pomares paulistas tem o limão cravo como porta enxerto, isto é: ele é plantado e quando chega determinada fase de desenvolvimento, outros citros, como a laranja lima, limas, são enxertados em seu caule, produzindo frutos do material enxertado. Portando a palavra “cavalo” vem daí: as raízes e porção do tronco são do limão cravo, o “cavalo”, e a outra porção, mais a copa, são da variedade que se incorporou para frutificar. Plantas enxertadas no limão cavalo são mais precoces, isto é, produzem abundantes safras em menor tempo de vida, cerca de 3 anos de idade. Mas seu diferencial é mesmo a resistência à seca, pois temos estiagens de cerca de 60, até mais de 90 dias na época da florada, fase que prepara a planta para os frutos. Este limão, chamado de Citrus limonia Osbeck é quase perfeito, pois consegue ser resistente a várias doenças, como a tristeza, e também a parasitas, como nematoides, mas não ao declínio, anomalia que compromete a planta.  Em breve vamos falar mais um pouco desses maravilhosos limões!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *